quinta-feira, 24 de junho de 2010

Ausência - presença

Sempre gostei de brincar com as palavras... ausência- presença

Nesses dias tive que viver a ausência virtual para dedicar-me a presença junto a minha querida mãe.
Aos quase 75 anos está vivendo os momentos de enfermidade e luta pela vida.E como filha, optei em passar junto essa caminhada ao lado dela.  Assim troquei o teclado pela caneta , por uma agulha de crochê e um rolo de barbante. Dentro do hospital durante os 14 dias de internação dela (sendo 9 meus também, como acompanhante por várias horas) descobri que é muito bom saber fazer de tudo um pouco. E mais uma vez defendo a teoria da Complexidade de Edgar Morin.





E juntando a ideia de que  vida é  tecida em complexus e dos saberes que são tecidos, pude literalmente tecer.
No entrelaçar das linhas no crochê a vida passava pelos meus olhos, pela mente e pelo coração.




Olhava minha mãe e sua fragilidaede diante da doença e relembrava toda a nossa vida de mãe-filha. as brincadeiras da infância, as balinhas que trazia após um dia no "centro da cidade" de BH fazendo os afazeres bancários para meu pai.
Lembrei-me dos muitos e incansáveis momentos de luta que vivemos juntos. Foram muitos. Mas sobre todos eles está  o amor de Deus. Internada com infecção generalizada  e sem esperanças foi medicada e graças a Deus está curada e teve alta ontem a noite.

Agora, começamos uma nova caminhada... não somente eu e ela, mas toda a família está unida  desde o início para vencer um câncer. Ela é valente, Deus é poderoso e venceremos mais essa.

Esse blog chama-se Conversa Mineira, não é a toa. Pois é nele que partilho as conversas mais diversas. Aliás o bom de uma prosa é quando se pode conversar sobre tudo.

Assim, você que vem aqui e lê as coisinhas que escrevo... seja abençoado também. 
Sejamos todos abençoados.

Deixe um recadinho também, eles alimentam a gente.

2 comentários:

giane. aprendiz. disse...

DEDICAÇÃO é um poder do amor.

coisasdocoração disse...

Ola, meu nome é Raquel, sou professora de ARTE e pesquisando aqui pela net encontrei seu blog. Até indiquei para uma colega professora de português. Muito legal. Amei. Gostei muito desse seu artigo "Ausência-presença", pois assim como você, eu passava noites sim, noites não com meu pai no hospital e enquanto velava seu sono, aproveitava para fazer um pouco de artesanato, coisa que sempre gostei. Nas suas palavras me vi novamente com meu pai. Meu pai faleceu numas das noites em que eu fazia companhia para ele, mas tenho certeza que onde ele estiver, está agora olhando por nós aqui na terra.É isso. Parabéns pelo seu blog. Abraços...
Raquel...

P.S: talvez eu tenha que entrar como anônima, mas sou não. Sou Raquel e meu email é
raquelmgm@uol.com.br